PIM-PF Regional – ABR/16 – “A produção das indústrias ainda segue em ritmo desaquecido”

Desempenho geral

Segundo a última divulgação do IBGE referente à atividade industrial por região brasileira, a produção das indústrias ainda segue em ritmo desaquecido. Os dados de abril nos mostram que somente dois estados – Pará e Mato Grosso – apresentaram desempenho positivo, graças à fabricação de produtos alimentícios em ambas as regiões, que tiveram melhor performance em abril nos respectivos estados. Nas demais regiões, a indústria ainda mostra valores negativos de variação percentual em relação ao mesmo mês do ano passado devido à recessão econômica do país, que se agravou neste ano principalmente devido à instabilidade política, que gera incerteza no mercado.

graf1

Desempenho do estado com melhor resultado

De acordo com o desempenho geral das indústrias, o estado do Pará obteve a maior variação mensal positiva em relação ao mesmo mês do ano passado. Ao analisarmos a série histórica de um ano (abril de 2015 a abril de 2016) da região industrial paraense, houve melhora de um ponto percentual de março para abril. O destaque de tal desempenho no estado se deve ao bom desempenho de indústrias de minérios de ferro bruto (Terra, 2016).

graf2

Indústria mais produtiva do estado mais produtivo

O destaque industrial do Pará é das indústrias extrativas, cujo desempenho positivo impulsionou a performance geral do estado. No entanto, este setor não apresentou o maior destaque em uma análise mais ampla sobre o Brasil, com contribuição de apenas 1,3% sobre o resultado brasileiro. Ademais, no Pará, quando analisamos a série histórica abaixo, vemos que os dados não são tão promissores: a variação das indústrias extrativas foi constante de março para abril, após queda de mais de 7% em relação a fevereiro. Nos outros meses, o comportamento desse setor apresentou grande instabilidade, com performances muito baixas, se compararmos com os resultados do primeiro semestre de 2014.

graf3

Desempenho do estado com Pior resultado

A pesquisa mensal da indústria regional indicou o Estado do Espírito Santo com o pior desempenho no mês apresentando variação de -21,9%. Este é o pior resultado dentre os estados participantes da pesquisa que ainda inclui Ceará, Mato Grosso e Rio de janeiro, por exemplo. O Espírito Santo apresentou uma piora com relação ao mesmo mês do ano passado – abril de 2015 – quando teve um aumento de 14% com relação a março de 2015. A queda foi influenciada pela recessão da indústria extrativa do estado.

graf4

Indústria mais produtiva do estado menos produtivo

A indústria que apresentou melhor resultado no Estado do Espírito Santo foi a indústria de metalurgia com crescimento de 17,5% no mês de abril de 2016. Esse resultado vem com uma melhora desde o mês anterior quando chegou a ter uma queda de -0,9% em relação a fevereiro de 2016. Em abril do ano passado, essa indústria teve variação negativa de -25%, sendo a maior queda desde abril de 2014.

graf5

Indústria Geral de São Paulo

Em São Paulo tivemos uma queda menos acentuada que o mês de março quando atingiu -13,1%. Em abril deste ano, o resultado foi de uma redução em 2,6% na produção geral da indústria de São Paulo. Dos dezoito setores estudados pelo IBGE, apenas cinco apresentaram crescimento neste mês, sendo a indústria de fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos a que teve a maior queda para abril e a de fabricação de produtos alimentícios a que teve o maior crescimento para o mesmo mês.

graf6

Resultados em destaque na indústria de São Paulo

O gráfico abaixo nos mostra os três piores e melhores resultados da indústria paulistana. Fabricação de produtos alimentícios apresentou alta na produção de 44,2% em relação a abril de 2015. Fabricação de bebidas e produtos farmacêuticos apresentaram aumento de 8,6% e 3%, respectivamente. O resultado mais negativo se deu na indústria de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos que teve recessão de 21,7%, seguido pelos setores de produtos de metal (-19,1) e fabricação de veículos automotores (-18,8).

graf7

A indústria de fabricação de produtos alimentícios de São Paulo apresentou seu melhor resultado em anos, apontando um crescimento de 44,2% em relação a abril de 2015. Foi o sexto resultado positivo consecutivo desde novembro de 2015, e a tendência é que continue com variações expansivas durante todo o ano.

Indústria de fabricação de alimentos em São Paulo

graf8

Indústria de fabricação de veículos em São Paulo

Um dos maiores setores de São Paulo enfrenta um grave período de recessão, a fabricação de veículos automotores apresenta mais uma queda de 18,8%. A indústria vem reduzindo seu número de funcionários por conta da baixa produção.

graf9

Qual a sua opinião sobre esses dados industriais? 

logos-juntos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s