IPCA

IPCA – Dezembro 2016

A inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) apontou alta nos preços de 0,30%, abaixo do esperado por analistas. No acumulado, a inflação fechou o ano dentro da meta de 4,5%, que possuo 2 pontos percentuais de tolerância, apontando alta de 6,29%, o que impactou na decisão de baixar a taxa de juros na última reunião do COPOM. Se compararmos com o acumulado de 2015, que fechou o ano fora da meta, registrando aumento dos preços de 10,67%, podemos ver uma desaceleração dos preços e a perda de força da crise econômica que vem assolando o país com um alto índice de desemprego.

Capturar.JPG

Capturar.JPG

Em São Paulo, a inflação de dezembro registrou aumento de 0,35% nos preços. O acumulado do ano de 2016 apresentou aumento de 6,13%, fechando dentro da meta estipulada pelo governo, após apresentar estouro de 11,11% em 2015.

Em 13 regiões metropolitanas o IPCA ficou acima da meta, como foi o caso de Porto Alegre (6,95%), Fortaleza (8,34%), Campo Grande (7,52%), Recife (7,10%), Belém (6,77%), Salvador (6,72%) e Belo Horizonte (6,60%). As demais regiões, como Rio de Janeiro (6,335%), Brasília (5,62%), Goiânia (5,25%), Vitória (5,11%) e Curitiba (4,43%) ficaram dentro da meta.

Capturar.JPG

Capturar.JPG

A maior alta nos preços de dezembro se deu pelo grupo de transportes (1,11%), impactado pela alta de 26,29% nos preços das passagens aéreas, por conta da alta demanda das festas de final de ano. O impacto do aumento das passagens no índice geral foi de 0,10 pontos percentuais. O aumento de 1,75% no preço da gasolina impactou 0,07 pontos percentuais na inflação de dezembro.

No grupo de despesas pessoais, que apresentou alta de 1,01%, o maior impacto se deu pelo aumento de 4,80% no preço do cigarro. Outros serviços que tiveram reajuste de preço foram de excursão (0,91%), empregado doméstico (0,87%) e cabelereiro (0,53%).

Saúde e cuidados pessoais, que aumentou 0,49%, sofreu maior impacto por conta do reajuste de 1,07% nos planos de saúde e artigos de limpeza (1,18%). No setor de vestuário (0,32%), houve aumento nas roupas masculinas de 0,72% e nas roupas femininas de 0,66%.

Os destaques dos grupos que apresentação queda nos preços, foram influenciados pela redução da bandeira tarifária de energia elétrica, que fechou com queda de 3,7%, pela redução de 2,15% nos preços das TVs, som e informática e queda de 1,65% nos automóveis usados.

Capturar.JPG

Em São Paulo, o grupo com maior alta no mês de dezembro foi o de transportes, registrando aumento de 1,08%. A maior redução dos preços se deu pelo grupo de habitação, no qual a energia elétrica teve forte queda de 14,11%.

O setor de alimentação, que persistiu com altos preços ao longo do ano, fechou com um acumulado de 7,83% em alimentação e bebidas, 8,23% na alimentação em casa e 7,23% na alimentação fora de casa.

O grupo de vestuário apresentou redução nos preços de 0,35% em São Paulo, diferente do aumento de 0,32% apresentado no IPCA nacional.

Capturar.JPG

Segundo o relatório FOCUS, divulgado pelo Banco Central, a previsão é que a inflação feche em 4,81% em 2017. Para este ano, a meta de inflação foi fixada em 4,5% com tolerância de 1,5 pontos percentuais, tanto para mais quanto para menos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s